terça-feira, 29 de janeiro de 2008

Cenários


Vivemos , num lusco-fusco da consciência, nunca certos com o que somos ou com o que supomos ser. No melhor de nós vive a vaidade de qualquer coisa, e há um erro cujo ângulo não sabemos. Somos qualquer coisa que se passa no intervalo de um espectáculo; por vezes, por certas portas, entrevemos o que talvez não seja senão cenários…

Um comentário:

Sarrabiscos disse...

Fizeste bem em criar um blog. o que escreves é bonito e transmite-me coisas.
E mais uma vez a palavra cenários remete-me ao paraíso ilha de faro onde tostadas pelo sol e água salgada ríamos alto sem medo do futuro. Quando me sinto entre bastidores ou ângulos errados lembro-me desse brilho e tudo se torna mais claro e calmo.
Beijos de saudades